3 saídas para fugir da negativação e atraso nas dívidas

Segundo dados da CNC, o 66% dos brasileiros começaram o ano de 2021 endividados, veja como deixar essa estatística

De acordo com a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor, realizada pela Confederação Nacional do Comércio (CNC), realizada em 2020, mais de 66% dos brasileiros começaram o ano de 2021 endividados.

Com as taxas de juros aumentando a cada mês, especialmente, em dívidas atrasadas, o desafio de sair do endividamento só cresce. Confira, agora, as melhores dicas para fugir da negativação e do atraso de dívidas.

  1. Entre em contato com as empresas credoras

O primeiro passo para mudar sua realidade financeira é ter a iniciativa de buscar formas para negociar a dívida e a liberação do nome dos cadastros do SPC e Serasa. Nesse caso, entre em contato com as empresas credoras para identificar o tamanho da dívida.

Em muitos casos, essa ação pode ser acompanhada de diferentes sentimentos, como frustração, mas a ideia é entender realmente o valor exato da dívida e quais as condições para negociação.

  1. Faça renda extra

Após entender sua realidade financeira e quais dívidas estão abertas, é preciso começar a reprogramar seu orçamento. Quais gastos podem ser cortados e como é possível obter mais renda para pagar essas dívidas?

Avalie, nessa etapa, o que você tem e já não usa com tanta frequência, como vídeo-game, roupas, livros e até veículos. Colocar essas coisas à venda pode gerar uma receita que ajudará a colocar a vida financeira em ordem.

  1. Busque uma solução financeira

O mercado financeiro nacional oferece diversas soluções de crédito para quem precisa sair do aperto. Algumas opções, como o empréstimo consignado, por exemplo, apresenta uma das taxas de juros mais acessíveis do mercado, o que ajuda a quitar dívidas com juros mais altos.

Embora o consignado seja destinado a aposentados, pensionistas do INSS e servidores públicos, existe também o empréstimo consignado privado que tem ligação direta com a empresa em que se trabalha em regime CLT, também contando com juros reduzidos, além de outras modalidades, como empréstimo com garantia, empréstimo pessoal e outros.

Redação

Esta notícia foi publicada por um dos redatores do SeuJornal, não significa que foi escrita por um deles, na maioria dos casos, foi apenas editada.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Desative seu Bloqueador de anúncios e ajude nosso site a se manter vivo