Cooperativas de Crédito: se houver prejuízo todos assumem a perda

As cooperativas de crédito têm ganhado cada vez mais espaço no sistema financeiro. De acordo com a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), se as 300 maiores cooperativas do mundo fossem um país, seriam a 9ª maior economia do mundo.

Continua após a Publicidade

As cooperativas de crédito são instituições financeiras sem fins lucrativos, e este é o primeiro ponto que as distanciam dos bancos comerciais. O que acontece é que a cooperativa precisa obter resultados para se expandir, mas a palavra usada para isso é “sobras” e não lucro.

As sobras são apuradas após o confronto das despesas e receitas em determinado período, contabilmente chamado de Demonstrativo do Resultado do Exercício (DRE), feito normalmente no final do ano. Depois, as sobras são repartidas entre todos de forma proporcional ou são reinvestidas nas cooperativas. Mas se o resultado for negativo, isto é, se houver prejuízo durante determinado período, todos assumem a perda.

Elas são formadas pela união de pessoas que buscam serviços de crédito, estes são chamados de “cooperadores”. Os cooperadores são simultaneamente donos e usuários da cooperativa, assumindo eventuais perdas ou sobras, uma vez que a cooperativa financeira trabalha para atender somente os interesses de seus cooperadores.

COMO ATUAM AS COOPERATIVAS NA VIDA DAS PESSOAS?

A razão pela qual as cooperativas financeiras têm se tornado uma alternativa aos bancos comerciais é que elas oferecem os mesmos produtos e serviços de forma considerada mais justa. Confira as vantagens de uma cooperativa de crédito:

  • Realizam serviços bancários: as cooperativas de crédito prestam os mesmos serviços básicos e essenciais que os bancos comerciais, como cartão de crédito, empréstimos, financiamentos, conta corrente, entre outros serviços.
  • Facilitam o crédito: uma vantagem importante que levou as cooperativas financeiras a ganharem espaço no Brasil é o fato de elas terem taxas de juros significativamente mais baixas que os bancos comerciais. Com essas taxas mais competitivas, as cooperativas de crédito são uma opção aos bancos convencionais.
  • São democráticas: as cooperativas de crédito são consideradas democráticas. Todos são donos e o Conselho de Administração é formado por cooperados eleitos na Assembléia Geral, em que cada cooperado vota e seus votos têm sempre o mesmo peso.
  • Promovem o desenvolvimento local: as cooperativas financeiras também levam desenvolvimento às localidades em que estão. Os recursos saem em forma de empréstimos ou financiamentos que levam desenvolvimento à região.

É SEGURO CONFIAR NAS COOPERATIVAS DE CRÉDITO?

Os clientes dos bancos comerciais são assegurados pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que é uma entidade que visa proteger os investidores, correntistas, poupadores, entre outros, de uma eventual quebra dos bancos. Para isso é garantido que, em caso de emergência, o cliente receberá de volta um valor máximo de R$ 250.000,00. Com as cooperativas de crédito, não é diferente. O Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito (FGcoop) busca garantir o dinheiro dos cooperados, no valor também limite de R$ 250.000,00 por CPF (ou CNJP) que esteja associado à cooperativa.

*Informações de Politize

Redação

Sobre o autor : Esta notícia foi publicada por um dos redatores do SeuJornal,não significa que foi escrita por um deles, na maioria dos casos, foi apenas editada.
Botão Voltar ao topo