Dois estabelecimentos são multados e um interditado em Capivari

Dois restaurantes foram multados pela Vigilância Sanitária na noite deste sábado, dia 12, durante a Operação Cidade Segura, da Guarda Civil de Capivari, com apoio de fiscais sanitários e de Posturas. Os estabelecimentos desrespeitaram o Plano SP e as medidas sanitárias de prevenção ao Novo Coronavírus. O valor das multas ainda será calculado e se houver reincidência ou outras pendências, o total a pagar será maior.

Na noite de sexta, 11, também durante a Operação, um estabelecimento foi lacrado após os fiscais constatarem aglomeração e outros descumprimentos ao Plano SP.  Nos dois dias de operação, mais de 35 comércios  foram vistoriados e os proprietários receberam orientações. Bloqueios de trânsito foram realizados para instruir motoristas. Uma  festa junina com cerca de 30 pessoas, no bairro Ribeirão, foi encerrada.

O Drone Policial da Guarda Civil  foi usado para dispersar cerca de 50 pessoas que estavam na Praça Central. O equipamento possui tecnologia de ponta, incluindo um  alto-falante que reproduz a mensagem de voz gravada pelo operador.

A fiscalização segue neste domingo e durante os dias da semana, com o objetivo de conter a crise sanitária e os reflexos que ela causa no município. Há meses a ocupação dos leitos da cidade, tanto públicos quanto privados, segue alta.

O Prefeito de Capivari, Vitão Riccomini (PSL) , já tomou medidas como aumento da fiscalização, decreto que proíbe aluguel de chácaras e locais para eventos, higienização de pontos com grande circulação de pessoas, barreira sanitária e a autorização para contratação de mais profissionais para atuarem na linha de frente da Santa Casa, além de autorizar a ampliação da fisioterapia no hospital para 24 horas por dia, sete dias por semana, para acelerar a recuperação de pacientes internados e reduzir possíveis sequelas.

O secretário da Segurança Pública, Mauro Júnior, afirma que a Guarda Civil não mede esforços para combater o problema, mas que a população deve fazer a sua parte. “Infelizmente as pessoas ainda não se conscientizaram sobre a real situação que enfrentamos. É óbvio que todos precisam trabalhar, mas desde que respeitem as regras do toque de recolher após às 21h. Atualmente existe uma fila de pacientes aguardando uma vaga na UTI. As pessoas só entenderão a gravidade da situação quando alguém da família precisar ser internado. Lamentável! Toda semana a história se repete”,  disse.

Redação

Esta notícia foi publicada por um dos redatores do SeuJornal, não significa que foi escrita por um deles, na maioria dos casos, foi apenas editada.
Botão Voltar ao topo