Ministério da Infraestrutura não reconhece greve dos caminhoneiros

A paralisação nacional dos caminhoneiros, prevista para a próxima 2ª feira (26.jul), não preocupa o Ministério da Infraestrutura. Segundo a pasta, o Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC), que está à frente do movimento, não representa o setor de transporte rodoviário de cargas autônomo.

“Nenhuma associação isolada pode reivindicar para si e falar em nome do transportador rodoviário de cargas autônomo. Incorrer neste tipo de conclusão compromete qualquer divulgação fidedigna dos fatos referentes à categoria”, completa o ministério, em nota.

A manifestação tem apoio da Associação Nacional de Transporte no Brasil (Antb), de caminhoneiros autônomos e de regiões como a Baixada Santista e Goiás, e da Galera da Boleia da Normatização Pró-Caminhoneiro, que não apoiou a greve convocada em fevereiro deste ano. No entanto, o movimento ainda enfrenta resistência por grupos da categoria como a Associação Brasileira dos Caminhoneiros (Abcam) e a Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (Cnta).

+ Caminhoneiros anunciam greve nacional para o próximo dia 26

Em vídeo publicado nas redes sociais, o Diretor Presidente do CNTRC, Plínio Dias, explica que a pauta trabalhada para o protesto é a mesma de fevereiro – quando os caminhoneiros tentaram levantar uma greve, mas não obtiveram apoio suficiente – abrangendo assuntos como a redução do preço dos combustíveis, a efetivação do piso mínimo e a liberação de pedágio para veículos sem carga. Dias ressalta ainda que desde fevereiro o grupo “fez cerca de 387 protocolos, nos quais todos os órgãos competentes foram notificados”, mas não obtiveram resposta.

Segundo ele, a última reunião foi com o presidente da Petrobras, o general Joaquim Silva e Luna, em junho, poucos dias antes de a estatal anunciar um novo aumento no valor do diesel. Já com o ministro Tarcísio de Freitas, que lidera o Ministério da Infraestrutura, Dias disse que não fala desde setembro de 2020. “O governo não nos chamou para conversar e não reconhece as pessoas que estão na liderança dos caminhoneiros. O ministro Tarcísio ignora pessoas que fazem parte da categoria e conversa com apenas um grupo dos caminhoneiros.”

A manifestação dos caminhoneiros está agendada para o domingo (25.jul), quando é comemorado o Dia do Motorista, e a paralisação para o dia seguinte. A continuidade da greve vai depender da adesão das entidades.

Redação

Esta notícia foi publicada por um dos redatores do SeuJornal, não significa que foi escrita por um deles, na maioria dos casos, foi apenas editada.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Desative seu Bloqueador de anúncios e ajude nosso site a se manter vivo