Monte Mor: Vereador Paranhos considera que faltou transparência no processo de aquisição de veículos pela Câmara

Na sessão ordinária desta segunda-feira (11), o vereador Paranhos (MDB) comentou os recentes questionamentos de internautas sobre o processo de aquisição de veículos, pela Câmara. A licitação originou a assinatura de contrato, totalizando R$440 mil, para fornecimento de quatro carros da Toyota (um modelo Corolla 2.0, e três Yaris Sedan 1.5). 

“Na minha opinião, o que faltou para o presidente [da Casa] foi transparência e publicidade para a população. Seguido também [da importância] de demonstrar a necessidade [da compra] e qual o modelo mais econômico para os cofres públicos, seja o de veículos alugados, que é até hoje, ou através da aquisição”, disse o parlamentar, em pronunciamento

O vereador relatou que pretende fiscalizar a aquisição – já que, em seu ponto de vista, “não há mais espaço [na administração pública] para falta de transparência, amadorismo e falta de acompanhamento”. “Ser vereador é inegociável, ser vereador é deixar de lado os interesses próprios”, disse Paranhos, citando recente participação em congresso do Tribunal de Contas. 

Para o parlamentar, se a Presidência da Câmara tivesse tratado o assunto com transparência e publicidade, não haveria esse “desgaste” e a “politização que é feita nesse tema”. “Não estamos aqui para ser coniventes com qualquer que seja a irregularidade”, disse, também citando denúncia recebida, em seu gabinete, sobre reforma que foi feita na Câmara.

“Eu tenho o ofício, vou protocolar lá, fazendo os questionamentos, para dar publicidade para a população. Que, na denúncia trata de [questionamentos sobre] como foi feita a escolha da empresa que fez a reforma”, disse o parlamentar. “Até o momento, [não há] nada que incrimine [a Presidência], mas a publicidade tem que ser dada, é necessária”, completou.

Redação

Esta notícia foi publicada por um dos redatores do SeuJornal, não significa que foi escrita por um deles, na maioria dos casos, foi apenas editada.
Botão Voltar ao topo