PF investiga fraude em licitação de máscaras

Publicidade

A Polícia Federal deflagrou hoje (8) a Operação Tempo Real, com o objetivo de desarticular um grupo de ex-servidores públicos que, com a ajuda de “representantes de empresa”, teriam praticado fraude e superfaturamento para a aquisição de equipamentos que teriam como destino o combate à pandemia do novo coronavírus em São Luís (MA).

O processo de licitação teria ocorrido em abril de 2020, organizado pela Secretaria Municipal de Saúde da capital maranhense, para a aquisição de 20 mil máscaras FPP2, no valor total de R$ 718 mil. “Destaque-se que os fatos investigados não dizem respeito à atual gestão da Secretaria”, informa a PF.

De acordo com os investigadores, quatro mandados de busca e apreensão e cinco mandados de constrição patrimonial estão sendo cumpridos por 20 policiais federais, por determinação da 1ª Vara Federal de São Luís.

De acordo com a PF, “os investigados também foram alvos de medidas cautelares diversas da prisão, consistentes na proibição de contratação com o poder público, proibição de acesso à Secretaria Municipal de Saúde e proibição de manter contato uns com os outros”.

“Os elementos colhidos durante a investigação revelaram que funcionários da antiga gestão da Secretaria de Saúde, em conluio com empresários, fraudaram o contrato, montando o processo de contratação e elevando arbitrariamente os preços”, informou a PF.

Casos as suspeitas sejam confirmadas, os investigados poderão responder por fraude à licitação, superfaturamento e associação criminosa, detalha a nota divulgada pela PF.

Continua após a Publicidade

ALGO DE ERRADO?Encontrou algum erro na notícia? Envie para [email protected] Saiba mais em https://www.seujornal.com.br/politica-de-correcoes/

Redação

Sobre o autor : Esta notícia foi publicada por um dos redatores do SeuJornal,não significa que foi escrita por um deles, na maioria dos casos, foi apenas editada.
Botão Voltar ao topo