Polícia Civil de Capivari prende dois e apreende mais de 900 cigarros eletrônicos e essências

A Polícia Civil de Capivari como apoio da GCM Capivari deflagrou, nesta quinta- feira (22), a Operação Vape III, com o objetivo combater a comercialização de cigarros eletrônicos e outros acessórios para o dispositivo que é proibido no Brasil. A operação foi empreendida em 05 locais em Capivari, um em Rafard e outro em Indaiatuba.

Durante a operação, duas pessoas foram presas e mais de 900 unidades de cigarros eletrônicos foram apreendidas. Além dos dispositivos, também foram apreendidos 150 essências para cigarros eletrônicos, celulares, notebook, maquininhas de cartão, mais de 4 mil reais e outros objetos relacionados ao comércio dos ilícitos.

A comercialização de cigarros eletrônicos e dos respectivos dispositivos é proibida no Brasil desde 2009, conforme a Resolução (RDC n. 46/2009), da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

De acordo com a polícia, as apreensões foram realizadas em um estabelecimento comercial na Avenida Pio XII em Capivari e em outra loja localizados na cidade de Indaiatuba, ambos os comércios pertencem ao homem de 30 anos que, foi autuado em Indaiatuba. O segundo preso, trata-se de um homem de 28 anos qual, se encontrava no estabelecimento em Capivari, sendo ele responsável pelo comércio a mando do primeiro indivíduo.

Um terceiro indivíduo foi conduzido até a delegacia, visto que em sua residência em Rafard, os policiais localizaram substância entorpecente para consumo pessoal em desacordo.

Além da prisão, a equipe policial também localizou e apreendeu em uma chácara em Capivari situada à Rua Eurico Gaspar Dutra, diversos cigarros eletrônicos e essências, além de valor em dinheiro e os objetos (notebook, maquinas de cartão).

Os dois irão responder pelo crime de fabricar, vender, expor à venda, ter em depósito para vender ou, de qualquer forma, entregar a consumo coisa ou substância nociva à saúde.

VAPE III

No ano passado, a polícia civil de Capivari deflagrou as operações VAPE I e II, quais auxiliaram nas investigações ensejando a ação de hoje, onde ficaram demonstrados os pontos comerciais onde os dispositivos e outros componentes estavam sendo vendidos.

A operação foi comandada pela delegada titular, Dra Mria Luisa Dalla Bernardina.

Redação

Esta notícia foi publicada por um dos redatores do SeuJornal, não significa que foi escrita por um deles, na maioria dos casos, foi apenas editada.
Botão Voltar ao topo