Usina Raízen é multada em R$ 70,7 mil por despejo de vinhaça em afluente

Clique aqui e peça agora

A usina Costa Pinto, do grupo Raízen Energia, em Piracicaba (SP), foi multada em R$ 70,7 mil pelo despejo irregular de vinhaça, um resíduo ácido do processos industriais da unidade, no Córrego Tamandupá, afluente do Rio Corumbataí. O manancial é responsável por 90% do abastecimento de água na cidade.

De acordo com a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), o lançamento da subproduto usado na produção de cana-de-açúcar ocorreu após ruptura de adutora do sistema de produção de álcool hidratado da empresa.

Em nota, a Cetesb afirmou que, além da penalidade, a usina Costa Pinto tem prazo de 30 dias para apresentar as ações a serem implantadas para evitar futuros lançamentos irregulares de efluentes líquidos.

O lançamento de vinhaça ocorreu no dia 30 de janeiro e, segundo a Cetesb, alterou a qualidade do curso d’àgua, para o parâmetro oxigênio dissolvido (OD), conforme medições feitas por técnicos da agência de Piracicaba.

Em nota enviada ao site g1, na tarde desta sexta-feira (9), a Raízen afirmou que a operação regular de fertirrigação em sua área agrícola foi afetada pelas fortes chuvas, o que resultou no pontual escorrimento.

“Prontamente, foram adotadas todas as medidas de contenção, mitigando maiores impactos. A empresa esclarece que dispõe de mecanismos de controle e equipe treinada para pronta atuação, seguindo as normas e protocolos ambientais, em conformidade com o Plano de Aplicação de Vinhaça (PAV). A companhia mantém contato com os órgãos competentes para garantir ações contínuas voltadas à prevenção e proteção do meio ambiente”, comunicou em trecho do documento.

Flagrante
No dia 30 de janeiro, a Patrulha Rural da Guarda Civil flagrou despejo irregular de vinhaça em afluente do Rio Corumbataí em Piracicaba. Segundo a corporação, o resíduo vinha sendo jogado no córrego há quatro dias.

O flagrante ocorreu durante fiscalização de rotina feita pela equipes da patrulha rural da Guarda de Piracicaba. O volume de vinhaça era grande, segundo a corporação, acabou escorrendo para uma mata e depois chegou ao córrego que desemboca no manancial.

A Cetesb e a Polícia Civil foram acionadas e encaminhadas ao local. O g1 e a EPTV, afiliada da Globo para Piracicaba (SP), entraram em contato a Raízen, usina responsável pela vinhaça.

Na ocasião, a companhia informou que a operação de fertirrigação foi afetada pelas fortes chuvas, o que resultou no escorrimento. A empresa também disse ainda que estava em contato com os órgãos competentes para “garantir ações contínuas voltadas à prevenção e proteção do meio ambiente.”

A Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) informou que foi identificado o vazamento após vistoria no local. “Através de medições realizadas no local, foi constatada a alteração dos padrões de qualidade da água […] As ações de fiscalização terão continuidade e serão tomadas as medidas administrativas cabíveis.”

A Polícia Civil informou que investiga o caso. “Guardas civis municipais realizavam patrulha no local dos fatos, quando perceberam uma coloração e cheiro estranho no Ribeirão Tamandupá. Após diligências, avistaram um talhão de cana aplicando fertilizantes com vinhaça, ocorrendo a saturação da substância no solo e escorrendo até o ribeirão”, diz a nota oficial.

G1

Redação

Esta notícia foi publicada por um dos redatores do SeuJornal, não significa que foi escrita por um deles, na maioria dos casos, foi apenas editada.
Botão Voltar ao topo