Valéria Bolsonaro participa de adesão ao programa contra Violência Doméstica

A Deputada Estadual, Valéria Bolsonaro, esteve na Assembleia Legislativa de São Paulo (ALESP) nesta terça-feira, 21, participando da cerimônia de assinatura do termo de adesão ao Programa “Sinal Vermelho”, contra a Violência Doméstica. O evento ainda marcou o lançamento da 2ª edição da pesquisa JUSBarômetro sobre Violência Contra a Mulher, realizada pela APAMAGIS e pelo IPESP.

O Programa Sinal Vermelho é uma forma a mais de incentivo para que mulheres vítimas de agressões familiares denunciem situações de violência, mostrando um “X” escrito na palma da mão. Ao visualizar o “X” na palma da mão de uma mulher, o atendente deverá acionar as polícias Militar e Civil para acolhimento e assistência da vítima, que terá resguardado seu direito ao sigilo e à privacidade em todo o processo. A campanha tem como proposta oferecer às mulheres um canal silencioso de denúncia e conta com a adesão de mais de 10 mil farmácias em todo o Brasil.

A Deputada Valéria, uma grande defensora da classe feminina, simbolizou a marca em sua mão como gesto motivacional. Além da parlamentar, outras autoridades estiveram presentes e fizeram o mesmo, entre elas a também Deputada Estadual, Janaína Paschoal.

“Nós sabemos que, infelizmente, os casos de agressão são cada vez mais frequentes em nossa sociedade, por isso, como representante do povo, busco alternativas e possibilidades que permitam dar voz as mulheres, como o Sinal Vermelho, uma medida emergencial que pode mudar a vida delas”, reforçou Valéria.

De acordo com o Fórum Nacional de Violência Pública, uma mulher é agredida a cada dois minutos no País. A Organização das Nações Unidas (ONU) elenca a Lei Maria da Penha (Lei 11.340/06) como a terceira melhor do mundo para evitar e punir a violência de gênero. Ainda assim, o Brasil é o 5º país que mais mata mulheres.

“Estarei sempre junto das mulheres, defendendo suas causas e buscando a igualdade de gênero e diminuir os índices de violência. Sou uma Deputada que carrega enorme responsabilidade, e com base nisso seguirei trabalhando incansavelmente”, afirmou Valéria Bolsonaro.

Outro canal de denúncia é o telefone 180, um serviço de utilidade pública essencial para o enfrentamento à violência contra a mulher. Além de receber denúncias de violações contra as mulheres, a central encaminha o conteúdo dos relatos aos órgãos competentes e monitora o andamento dos processos.

Redação

Esta notícia foi publicada por um dos redatores do SeuJornal, não significa que foi escrita por um deles, na maioria dos casos, foi apenas editada.
Botão Voltar ao topo